domingo, 25 de novembro de 2012

Sugestões para Natal 2012


























PEDIDOS: danicuccia76@yahoo.com.br ou aguiaecondor@gmail.com

A luz do ventre

Para as filhas, as jovens, as mães, as sábias e todas as lindas mulheres desta Terra.

Que a força de seus ventres flua através de vós!
O amor cresça e floresça por vós.
Que a vida seja pura luz, amor, harmonia e sabedoria divina em movimento

ciclos de luz e sombras
luz que ilumina as sombras
Luzes e sombras que transmutam
que derramam a delícia e a dor de ser
Ser interia
Ser intensa
Ser verdadeira
Ser imensa
Imensa imensidão do universo em seu ventre
Ventre escuro que dá a luz
Luz da vida
colorida, preto e branco
sem cinzas, só encanto...
Momento de inspiração pelo amor em ser MULHER.
Daniela Cuccia

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Um dia de festa, melhor que uma festa no dia!!!



31 de Agosto de 2012
 
O meu inferno astral ("inferno astral -  um período de ser instrumento para o bem dos outros e não estar tão preocupado com causas próprias") esse ano foi puxado! Sem entrar em maiores detalhes, o final do mesmo se deu exatamente com a fase de TPM, às vésperas da lua cheia, do plenilúnio da lua azul (dia do niver).  Como disse a definição acima, é um momento de dividir com o outro as glórias do ciclo que se encerra, assumo aqui que o sentimento que me habitou por grande parte do período foi de abandono e carência. Se passou um ano de grandes alegrias, mas também de grandes desafios e situações inesperadas de forte balanço de estruturas de um padrão da vida. Ano de muito trabalho em todos os sentidos e bem pouco descanso, primeiro ano de vida de meu pequeno Artur, o primeiro ano de vida de um ser é um ano de grande dedicação materna (para as mães que querem cuidar bem de seus filhos, porque para algumas não deve fazer muita diferença...), portanto estava finalizando o ciclo sentindo forte exaustão. E era isso que estava dividindo com o próximo, minha exaustão, carência, enfim assumo o humor não ajudou muito (rsrs). As melhores coisas deste período pra mim foram o aniversário de 1 ano do Artur, o de 8 anos de casamento, o curso de Introdução a Aromatologia e as gracinhas dos meus pequenos, que são o bálsamo de cada dia. 

Nos três últimos dias, ocorreu o ápice, pois passar pela fase que antecede sua lua (menstruação) na entrada da lua cheia não é fácil, tudo fica muito intenso e a vontade de me isolar era muito forte, mas impraticável e a carência em seu pico, querendo colo, carinho de todos, mas sem pedi-lo (claro sem recebe-lo), sentindo minha auto importância no ponto máximo não sendo correspondida. Tinha resolvido comemorar meu dia este ano com uma festa com os amigos, acreditem se quiser NINGUÉM poderia vir. Aí foi por água abaixo minha comemoração e minha autoestima desceu mais uns degraus (kkk agora eu rio).

Na véspera do grande dia fomos fazer compras no supermercado e ao entrar vi um vaso de flores lindas, kalandívias vermelhas e brancas (como se fosse a lua com nuances vermelhas), fiquei namorando-o e pensando “queria tanto ganhar essas flores de alguém” e então resolvi tomar uma atitude, “vou me dar esse presente, Pedro, mamãe vai comprar essas flores pra você me presentear com elas amanhã!” e ele lindinho “eba!!!”. Senti que ali estava mudando alguma coisa em mim muito forte. Comprei croissant de goiabada e suco de pera com maçã para começar meu dia com um delicioso café da manhã com meus homens lindos (que são as presenças mais importantes pra mim não só no dia 31 de agosto, mas em todos os dias da minha vida), os ingredientes para fazer um almoço bem gostoso e um bolo vivo show de bola receita nova. Cuidei dos detalhes da minha festa, resolvi que ela duraria por todo o dia. Na volta, Pedro enjoou no carro e vomitou pra todo lado, tivemos que parar no mirante, pra limpar tudo, trocar as roupas dele... foi tão bom, fizemos isso com a maior calma, ele ficou leve feliz, correu sem calça tomando vento no bumbum, e ficamos curtindo a vista das montanhas do vale. Nunca demoramos tanto pra chegar do Verdemar até em casa (rsrs), em casa minha mãe me liga, perguntando como seria meu niver e tals e eu desabei a chorar falando que “ninguém pode vir, ninguém quer nem saber do meu aniversário...” (aiaiai que carência credo! Rsrs) tadinha ela cheia de coisas sérias acontecendo e eu desabafando com ela essa bobeira, bem logo depois me liga minha irmã perguntando se eu queria que ela comprasse ingressos pro show do Robert Plant em outubro, o Ka deu a maior força para eu ir,  ele ficou todo feliz me animando e eu entrei em catarse de choro, dizendo que eu queria era ir com ele (que estará viajando na data), nessa hora meus três homens lindos vieram me abraçar, me dar carinho e aí senti um alívio do tamanho do mundo. Esse foi o ponto de mutação.

O resto do dia transcorreu tranquilo, fomos dormir, pois estava chegando o grande dia!
A noite foi ótima, Artur dormiu muito bem depois de uma semana inteira de noites péssimas. Acordei bem, abri os olhos e fiquei olhando pro lindinho dormindo, esperando Pedro acordar e vir para a minha cama junto com o Ka (que dormiu com ele). Pedro acordou e veio correndo gritando “Parabéns mamãe, cadê a sua flor!”, me deu beijos e abraços, ficamos eu, ele e Artur na cama brincando e chamamos o Kaquito para se juntar a nós, eis que começam as surpresas do dia, ganhei lindos presentes, um olho de tigre do Pedro, um pedra da lua do Artur e um livro maravilhoso sobre Aromaterapia do Ka, um lindo vasos de flores do Pedro para mim. Adorei a surpresa! Amamentei o Artur. O sol estava radiante e maravilhoso. Minha lua desceu exatamente no dia do meu niver, que presente da Mãe Divina, quantos sinais, a lua descer nesse dia tão especial pra mim, que caiu exatamente no plenilúnio da lua azul, com meu sangue desceu toda a frustração e peso do inferno astral. Levantei tão alegre, arrumei a mesa do café da manhã, tomamos um cafezão bem gostoso todos juntos, os presentes vieram em cascata um atrás do outro, enquanto estava à mesa dois beija flores lindos ficaram dançando em minha janela e só eu vi. Amamentei novamente, o pequeno dormiu, me arrumei bem bonita, com meu lindo colar de coral e turquesa, desci pra tomar sol com Pedro, ele ficou peladinho brincando no sol curtindo, decidi que começaria o dia recebendo em minha pele, em meu ser os raios do sol do meu próximo ano, recarregando todas as forças. Ka desceu com Artur quando ele acordou e ficamos curtindo no quintal, os meninos tocando bateria, correndo, brincando e eu só babando as crias.

Subi preparei um almoço delicioso, cavatelli al gorgonzola e preparei meu bolinho vivo, torta de chocolate com creme de macadâmia e banana e uvas hummmmm! Saboreamos, cantamos parabéns. Escolhi uma velinha de jasmim para o bolo, fiz uma mentalização bem positiva ao acender minha vela. Descemos novamente pra curtir ainda mais o dia. Vi um lindo gavião passando sobre nossas cabeças, lindas borboletas, ganhei muitos parabéns no facebook (rsrs como ele é bom pra alimentar nossa auto importância), ganhei uma peninha de beija-flor. Recebi algumas ligações, em uma delas minha grande amiga do coração me perguntou “e aí como que tá sendo, vai fazer o quê?”, ela era uma das convidadas que também não podia vir e disse à ela com o maior bom humor do mundo “resolvi mandar todo mundo que não pode vir à merd...  ser feliz e comemorar com as pessoas que mais amo na vida!” ela arrebentou em risadas e eu também. Enfim curti muito. Lá pras cinco subimos, tomei um banho, coloquei meus paninhos de molho na água, para mais tarde regar as plantas com minha lua. 

Enquanto Ka tomava banho, liga uma amiga nossa e coloco no viva voz pra ele se falarem, quando ela pergunta à ele porque havia ligado pra ela, ele sem graça resolveu contar em minha frente, estava tentando organizar uma festa surpresa para mim, mas acreditem NINGUÉM poderia vir, kkkkkkkkkkkkk, rí tanto, o único querido fofo que pôde vir, foi o Paulinho, nosso amigo e incentivador (único presente em vários acontecimentos), que passou aqui após seu dia de trabalho e ainda me trouxe um delicioso presente, JASMINE TEA (chá de flores de jasmim) e Sat Chay, ele trouxe a confirmação de tantos sinais do dia, de tantos ensinamentos. Querido seu abraço e sua presença foram fundamentais para meu dia!

Colocamos os pequenos para dormir, vestida com minha saia, peguei meus cristais, sal grosso, minhas Cartas do Caminho Sagrado, minha velinha de jasmim do bolo, meu sangue na jarra (que uso só para isso todas as luas) e desci, para finalizar meu dia, que começou sob o sol, agora sob a luz da lua azul. Coloquei meus cristais na água e sal para limpeza, acendi minha vela para acabar de queimar, reguei minhas plantas com minha lua, acocorei sob a luz da lua, me assentei na Mãe Terra, tirei as cartas do meu ano (por sinal mágicas), cantei mantras e cantos sagrados, agradeci todas as bênçãos que tenho recebido, curti meu círculo de mulheres sozinha, conectada através da essência divina feminina do universo à todos os círculos deste dia. 

Subi, acabei meu dia vendo um delicioso filme com meu grande amado Ka, Cartas para Julieta, como nada é por acaso, uma história de amor que se passa na Itália (minha terra natal), que momento mais delicioso. E assim foi o meu dia de festa, ganhei muito mais que uma festa, o Grande espírito sempre nos dá o melhor, ganhei um dia inteiro de festa e presentes maravilhosos, quantos destes presentes nos chegam todos os dias e estamos fechados para senti-los.

Conectado com os sinais:
1 – SOL maravilhoso durante todo o dia – muita luz, plenitude, positividade, energia e trabalho. A importância de receber os raios do sol no dia em que se completa os anos solares e abastecer a alma com toda essa luz.
2 – FAMÍLIA FELIZ – como minha energia mexeu com todos da casa durante este mÊs de inferno astral, como a base é a mulher, impressionante, eu fiquei bem , todos ficaram.
3 – Kalandívias branco-vermelha – cor da lua e do sangue, conexão com o feminino profunda.
4 – Pedra da Lua – trabalha nosso princípio feminino, discernimento, serenidade, fertilidade.
5 – Olho de tigre – qualidades paciência e tempo certo relacionam-se com a capacidade de criarmos aquilo que queremos para as nossas vidas. Combina a energia da Terra com a energia do Sol. A cor dourada representa a capacidade de manifestação enquanto o castanho escuro corresponde às energias da terra. Além disso, o olho de tigre pode ajudar-nos a traduzir as idéias em realidade física. Esta pedra ajuda-nos especialmente a confiar na nossa capacidade de realizar os nossos sonhos, ajudando-nos no reconhecimento das nossas fontes internas que podemos usar na sua concretização. Ajuda-nos a analisar uma situação e a determinar a melhor abordagem.
6 – Livro Aromaterapia – confirmando o antigo/novo caminho dos óleos essenciais com o trabalho de cura que me cabe.
7 – Sangue da minha lua – alegria de ser mulher, de poder transmutar todos meus intensos processos através da dádiva do meu sangue lunar, juntamente com a lua azul. Como cada vez mais o processo do resgate e das curas do sagrado feminino estão latentes em meu ser, como a conexão torna-se mais profunda  a cada dia.
8 – Alimentar o corpo com alimentos que nos alegram, com sabores da infância, da terra natal... como isso alimenta a alma.
9 – Beija-flor - simboliza cura, amor romântico, claridade, graça e proteção espiritual. O xamã que tem no Beija-flor seu Animal de Poder é uma pessoa que busca sem cessar o contato com sua energia interior, com a sua magia e que busca muito a contemplação e a unicidade com o meio-ambiente. O xamã Beija-flor é um mensageiro do Grande Espírito, que veio para trazer a mensagem de cura para a humanidade, para curar suas doenças emocionais. Este Animal de Poder nos dá claridade para enfrentar os obstáculos da vida com muita serenidade e auto aceitação. O Beija-flor nos ensina a suavidade do viver. Viver contemplando tudo que há, todas as pessoas, a humanidade e principalmente nos remete a buscar nosso estado de graça universal.  A proteção espiritual também é um aliado muito forte deste Animal de Poder, já que ele atua como arquétipo do amor as energias e fluidos que ele capta sempre são energias de altíssima frequência vibratória.
10 – Colar de coral e turquesa – proteção, casamento do Pai Céu (turquesa, proteção aos guardiões da terra) com a Mãe Terra (coral-sangue da mãe terra, águas da terra), com a pureza e a verdade da prata.
11 – vela e chá de flores de Jasmim - símbolo de delicadeza e feminilidade. Seu óleo essencial trabalha problemas de depressão, ansiedade, problemas menstruais, letargia. Equilibrante da hipófise e como afrodisíaco. Facilita o relaxamento e a meditação. Facilita mudanças e a transformação pessoal. (ligado ao feminino, a luz da lua em que me banhei)
12 – Sat Chay – as ervas que o compõe são ativadoras do Agni, o fogo digestivo (ligada ao sol da manhã que tomei)
13 – Saíram para mim 8 cartas, exatamente o número do ano que estou vivendo.
14 – Cartas para Julieta – filme que se passa em minha terra natal, me ligou completamente À minha ancestralidade com suavidade e graça.

Bem, foram muitos sinais, muitas peças se encaixaram e a partir daqui um ano novo cheio de presentes para mim e para você!
GRATIDÃO

domingo, 24 de junho de 2012

Ser Bruxa Hoje


Ser  bruxa, pode ser pra alguns ter verruga no nariz, pêlos no queixo, rosto enrugado, ter salamandra , gato preto e um caldeirão... Para mim ser bruxa é ser mulher, mulher naturalmente sagrada, que se ama por ser mulher, ama seu ciclo natural ligado à Lua, ela ama amar profundamente, parir naturalmente, amamentar livremente....O caldeirão da bruxa é o seu útero, a representação do infinito, do universo em nós. 

Os feitiços da bruxa contemporânea  estão diretamente ligados à relação de cada uma com sua essência sagrada feminina. A sociedade patriarcal em que vivemos ao longo dos tempos veio cortando as ligações sagradas das mulheres com elas mesmas. Proibiu suas danças ao redor das fogueiras no princípio, hoje manipula seu ciclo menstrual e seu parto com hormônios artificiais. Para as que ainda assim menstruam, as fazem sangrar mais e ter efeitos colaterais horrorosos por conta da dioxina que se encontra nos absorventes descartáveis. Faz com que elas pensem que bebês não devem nascer quando querem e nem mamar à vontade. Tira o direito do seu protagonismo no parto, através das cesarianas e dos partos hospitalares desrespeitosos, onde a personagem principal é o médico e não a mulher e o bebê. Uma sociedade que quer de qualquer forma tirar a mulher de seu papel de base da família para ser a robozinha trabalhadeira que gasta bastante e aceita tudo que o sistema impõe sem questionamentos.

Sinto-me tão poderosa de ser dona do meu corpo, de aprender com meu sangue sagrado, oferendá-lo mensalmente às plantas do meu jardim , através dos meus paninhos que ficaram de molho e do meu coletor. Os momentos de maior poder que experimentei até hoje em minha vida foram os dois partos dos meus filhos. Foi no parir que descobri e me reconectei profundamente com a divindade que habita em mim. Como diz uma amiga bruxa minha, foi “o meu encontro com Deus”.  Desde então o poder foi só aumentando em mim, a conexão cada vez maior comigo mesma, com meus sentimentos, emoções, sensações, tensões, tesões, pirações...

A partir daí tudo começou a fluir fortemente para o aumento do meu poder pessoal. Ser diferente, ser considerada a doida, maluca beleza, natureba pela minha maneira de viver a mulher sagrada que habita em mim, não representa um problema, pelo contrário “isso não tem preço”. É um prazer, um tesão, uma alegria tão grande sentir essa força pulsando, vibrando em cada uma de minhas células.  

Ter consciência de seu poder pessoal é o primeiro passo para ser uma bruxa poderosa. É saber fazer a magia acontecer em seu caldeirão (seu útero). Por isso cabe a cada uma garantir e lutar pelos direitos de todas  sangrarem, amarem, parirem, amamentarem, educarem, trabalharem e viverem da forma naturalmente feminina que pulsa em cada uma. Ajudem as irmãs a despertarem dessa anestesia que o sistema injetou nas mulheres. Menstruar, amar, parir, amamentar, educar, trabalhar e viver  não é sofrer. É experimentar o poder divino da vida. É aceitar a deusa que habita em ti em toda sua plenitude, com todas as nuances e cores. Com todas as fases da lua, com todos os ciclos da natureza girando em perfeita harmonia.

Ser bruxa é ter consciência do poder do universo em seu útero. Da força geradora, criadora, mantenedora da vida. Nosso útero é o receptáculo, o cálice que gera. Por ser receptáculo, devemos cuidar bem das energias que ali terão a honra de estar. Isso faz parte do poder da bruxa, saber escolher quem terá o prazer de compartilhar de sua companhia e de suas magias.

Para todas as deusas, mulheres naturalmente sagradas, bruxas que são bruxas, porque são lindamente poderosas e conscientes de seu poder. Para as mulheres divinas que tem a consciência do poder de seu caldeirão, o poder do infinito. E para todas as outras que estão com seus caldeirões adormecidos pelo sistema, acordem irmãs, vocês são tão poderosas quanto nós.

Daniela Cuccia 21/06/2012 
(inspirada pela sensação maravilhosa de ser poderosa, pela Lua Nova e pelo Solstício de Inverno)
*Se deseja reproduzir ou compartilhar este texto, por favor, citar a fonte e compartilhar à vontade.

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Dia das Mães 2012





 
 Sugestão natural e saudável para o Dia das Mães, que merecem sempre uma demonstração de carinho.

Vários óleos em promoção: 





Limão siciliano (concentração e cansaço mental), Laranja doce (alegria) e Tangerina (antidepressivo) todos por apenas R$18,00
Funcho (TPM e menopausa) R$24,oo
Hortelã (clarea a mente, dores de cabeça)R$35,00
Gerânio(TPM, menopausa) R$28,00 
Capim Limão(revigorante, analgésico) R$20,00
Eucalipto globulus (rinite, sinusite, expectorante) R$18,00 e muitos mais
Colar (difusor de aroma pessoal) R$26
Difusor de aromas elétrico R$35

Linha completa Live Aloe (shampo, condicionador e creme) de R$72 por R$65

Qualquer produto vem em embalagem para presente
Informações: danicuccia76@yahoo.com.br
                         (31)9692-7070 

sexta-feira, 27 de abril de 2012

SUS que dá certo - Sofia Feldman

domingo, 22 de abril de 2012

quarta-feira, 11 de abril de 2012

segunda-feira, 26 de março de 2012

gostaria de convidá-los e avisar que o horário mudou para as 14 horas.
Inscrições até terça dia 28 de março!
Abraços






sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Amamentar é acreditar em si mesma

Gostaria de convidá-los a lerem meu texto, que foi publicado no blog Mamíferas, no dia 13 de fevereiro de 2012. Minhas reflexões sobre a amamentação, maternidade e influência dos pitacos alheios nessa história.
Acessem e confiram
http://www.mamiferas.com/blog/2012/02/amamentar-e-acreditar-em-si-mesmo.html

Aqui o texto para quem não conseguir acessar pelo link



AMAMENTAR = ACREDITAR EM VOCÊ MESMA

Deus deu à mulher, o dom de gerar a vida, o poder de parir, a dádiva de nutrir e a responsabilidade de educar.

Essa é uma história linda, longa, cheia de aprendizado, superação e principalmente plena de muito amor.

Comemoro hoje, dia 6 de fevereiro, 6 meses de vida do meu segundo filho, Artur,meu pequeno leão dos olhos verdes de mares gelados e profundos. Comemoro 6 meses de amamentação exclusiva, sem nenhumazinha mamadeira e nenhum bico!!! Muita gente deve ler isso e achar “Essa é doida!”, mas essas pessoas não têm a noção da plenitude que me trouxe conseguir chegar até aqui. Vou contar a história do princípio, três anos atrás, quando chegava meu primeiro filho, Pedro.

Desde nova tive vergonha dos meus seios, porque um deles tinha o bico mal formado, diferente daqueles seios maravilhosos que vemos nas revistas. Uma vez uma mulher me disse, “ Será que você vai conseguir amamentar com esse peito?”, acho que tinha 12 anos. Nesse momento foi lançado sobre mim essa dúvida, que se tornou um estigma, que me fez duvidar de minha capacidade mamífera de amamentar, me fez ter vergonha do meu seio.

Em janeiro de 2009, fui fazer o curso de amamentação do Odete Valadares, por sinal maravilhoso, lembro muito bem da senhora falando, “bico de peito pra dentro, pra fora...não é problema, o bebê pode mamar de qualquer jeito” Saí de lá mais tranqüila, mas ainda com a pulga atrás da orelha e uma enorme insegurança de saber se meu filho conseguiria mamar. Falava com ele dentro da barriga, dizia a ele que mamaria muito nos peitões da mamãe. Em fevereiro, nascia meu primeiro rebento, de um parto longo, desgastante e maravilhoso, que me fez nascer com mãe, como mulher. Ele também estava cansado ao nascer, nem quis muito mamar, só ficou aconchegado em mim. Foi mamar 5 horas depois de nascido. Lembro que só de pensar em pegá-lo para mamar, começava a suar frio, ficava toda dura, morrendo de medo dele não conseguir. Tentava dar o peito esquerdo, que é o que seria mais difícil para a sua pega, via que ele não conseguia e já desistia e passava para o direito. Não bastasse a dificuldade de mãe de primeira viagem, ainda fomos internados por conta de uma icterícia fortíssima dele, no terceiro dia de vida, ficamos uma semana num hospital, que não me deu o menor apoio na amamentação, nem perceberam que ele estava perdendo muito peso, muito menos ligaram a demora em baixar os níveis de bilirrubina com a amamentação insuficiente. Todas essas conclusões eu só consegui tirar muito tempo depois. Eu não sabia como ordenhar o leite, para que meu bebê pudesse mamar mais facilmente, meus peitos estavam parecendo dois balões gigantes e o pequeno nem conseguis mamar por conta disso. Saímos do hospital, comecei a ter uma rachadura no peito direito que machucava muito, o peito esquerdo já tinha bem menos leite, Pedro chorava muito, colocava ele no peito ficava horas mas nunca estava satisfeito. Fazia pouco xixi e coco. Com 21 dias fomos à uma pediatra, que “diagnosticou” uma perda de peso grande, e falou “Você tem pouco leite vai ter que entrar com a mamadeira”, isso caiu em cima de mim como uma bomba atômica. Me senti a pior mãe do mundo, chorava todos os dias, dizia a mim mesma, que não servia pra nada, nem pra alimentar meu filho. Que mãe que eu era de ter deixado meu filho com fome...barbaridades. O pior que vejo hoje, foi que a pediatra não me orientou como deveria fazer para dar o complemento e amamentar também. Eu estava sempre muito nervosa e ansiosa, completamente descrente de mim, não conseguia relaxar. Toda hora uma visita intrometida falava algo do tipo, “ Xiii está tomando mamadeira, vai largar o peito”, quando ouvia isso me dava vontade de pular no pescoço da pessoa. Mas graças à Mãe Divina, meu pequeno não largou meu peito, mamou até 1 ano e 8 meses, junto com mamadeira. O peito ele mamava sempre que queria, a mamadeira tinha os horários certos. Nessa época, já começamos a pensar no segundo filho e eu e Pedro desmamamos tranquilamente e sem pressa.

Um mês depois estava grávida novamente, uma alegria imensa, mais um serzinho de luz chegaria para completar a família. Deus estava me dando mais uma chance de acreditar em mim. Desde o princípio da gestação tudo foi muito tranqüilo, nada como conhecer melhor o caminho. Me lembrei das histórias lindas de amamentação que tinha ouvido, que tinha lido, me informei muito sobre amamentação com bico do peito invertido, intruso... descobri que era possível amamentar um bebê só com um dos peitos por seis meses, entre outras coisas. Rebeca minha doula virtual foi uma fofa, que me deu todo apoio e me tirou todas as dúvidas. Eu estava muito tranqüila, dizia que não me mortificaria se tivesse que dar uma mamadeira, mesmo não sendo meu sonho. Na primeira paguei muito à língua, falava que nunca daria mamadeira pro meu filho...

Não fiz nenhum curso de amamentação na segunda gestação, confiei só na minha experiência, na minha tranqüilidade e entrega. Tive como lema o que uma conhecida que há pouco tempo tinha tido seu primeiro filho dizia “tem que por na cabeça que você é uma vaca leiteira...” e eu incorporei isso. Assim que Artur nasceu, mamou por duas horas seguidas, isso pra mim foi uma glória e assim continuou fazendo, nos primeiros dias, era ele abrir os olhos e a boquinha e eu já estava lá dando peito pra ele. Já começaram os palpites, “nossa tá mamando de novo”, “blá, blá, blá”, mas diferente da primeira vez, eu agora tinha uma coisa que não tinha antes CONFIANÇA em mim, em meu poder de mamífera, afinal Deus não me daria dois seus produtores de leite à toa. Outra coisa que foi muito importante foi ordenhar um pouco o leite antes de dar o peito, para o bebê conseguir mamar, isso faz muito diferença para a pega dele. O mamilo fica mais macio e mais fácil de ser abocanhado da melhor forma para sugar. No começo, Artur teve muita dificuldade de mamar no peito esquerdo, pois a boca muito pequena de um recém nascido nem sempre dá conta de abocanhar o peito com o bico de formato diferente. Isso não me abalou, ia tentando do mesmo jeito, com duas semanas, foi ao Odete Valadares, pois estava decidida que queria conseguir fazer ele mamar nos dois peitos, aprendi que a auréola deve ficar na parte de cima da língua do bebê, assim ele consegue sugar melhor e fui tentando até que conseguimos. O dia que senti pela primeira vez ele puxando com força o peito esquerdo, descobri que quando o bebê suga de um lado estimula a produção do outro e vi o quão importante era conseguir amamentar com os dois seios (ele estava com 3 semanas). Daí em diante,mesmo com o esquerdo produzindo bem menos leite, sempre dei os dois seios para ele mamar e hoje dia 6 de fevereiro de 2012, eu comemoro seis meses de amamentação exclusiva!!! Com um bebê que com 3 meses tinha tamanho de 5, com 6 meses tem tamanho de 8, é uma bolota fofa, cheio de alegria e saúde.
Comunico aos palpiteiros de plantão que seria melhor que guardassem seus palpites para eles, assim pode-se evitar abalar a auto estima de mulheres que recém paridas, além de lidar com toda a dança hormonal, o desgaste da adaptação e outras “cositas” mais, ainda precisam lidar com falácias inúteis e fazer cara de paisagem para todos.
Comunico com muita certeza à todas as mamíferas que é possível, amamentar exclusivo com um só peito e com bico de peito diferente dos seios maravilhosos das revistas. O que precisamos é aprender uns segredinhos e ter muita calma, dedicação, perseverança,  humildade e amor, que uma mamífera ao parir suas crias, pari juntamente com elas a capacidade de amar e se doar incondicionalmente a outro ser.
Gratidão Mãe Divina.
Gratidão Pedro, por ter me ensinado e ter vivido comigo tudo o que vivemos para que eu pudesse dar ao seu irmão esse presente de amamentar só o leitinho da mamãe por seis meses.
Gratidão Artur por ter vindo viver conosco esse vida de alegrias e dores, que nos fazem ter certeza de que viver deve ser intenso e não uma eterna anestesia.
Gratidão Ka, meu companheiro por ter estado sempre ao meu lado.
Gratidão Kalu, por ter me contado lindas histórias de amamentação sem nem saber o quanto eu precisava ouví-las.
Gratidão as mulheres da lista do Parto Ativo BH, por dividirem todas as doçuras e amarguras de ser mamíferas...

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Artur – Seis meses, 6 de fevereiro de 2012




Hoje completa seis meses meu pequeno leão dos olhos verde-acinzentados, cor de mares gelados e profundos.  Meu pequeno, que em tão pouco tempo já ganhou vários apelidos carinhosos, budinha, mestrinho ascencionado, bolota, chiccolino, fofolete, pacífico... todos mostram sua doçura, fofura, paz e tranqüilidade.
Seis meses em que o amor nesta família quadruplicou, esse pequeno ser de luz preencheu ainda mais nossos corações.
Seis meses de amamentação exclusiva, só peito da mamãe e nada mais, nunca colocou uma mamadeira, nem uma chupeta na boca!!! Isso pra mim é uma grande vitória. O Pedro, meu primeiro filho me ensinou muitas coisas, que pude fazer diferente desta vez, a principal delas, TRANQUILIDADE nos pós-parto é a chave do sucesso da amamentação. Poucas visitas, muita entrega e tudo deu certo.
Artur, na semana em que praticamente todos os bebês perdem peso, logo ao nascer, ganhou 400g. E assim foi seguindo, tendo com 4 meses, o peso de um bebê de 7 meses. Para alguns pode parecer babação demais, mas pra mim foi uma grande conquista. Tive a tranqüilidade de dar conta de ouvir muita gente falando “Nossa, mas ele mama demais, está sempre no peito”... e muitos outros bláblás que para uma mãe de primeira viagem poderiam ser desastrosos. As pessoas não sabem o poder das palavras, até o fazem com boas “intenções”, mas atrapalham demais. Muita gente acha que bebê é público, todos querem pegar, palpitar... e nós temos que ficar calmas com nossos turbilhões de hormônios e deixar entrar por um ouvido e sair pelo outro.
Sei que hoje eu já ajudo quem quiser a conseguir amamentar, claro que não sou especialista, mas para os casos normais de dificuldades em amamentar estou ajudando bastante e fico muito feliz com isso, pois se tivesse tido alguém que tivesse gasto 30 minutinhos comigo, me explicando com calma tudo quando nasceu o Pedro, poderia ter feito diferente da primeira vez.
Não vou me estender aqui com os detalhes, mas quem quiser sabê-los, basta me perguntar, mas já digo, não existe peito em que o bebê não consiga mamar, nem leite que seque do nada, é preciso calma, perseverança, humildade e muito amor. Assim vai dar certo com certeza.
Agradeço aqui a Mãe Divina, por ter me abençoado com o leite da vida, por ter-me tornado uma “completa” mamífera, dedicada à prole e a criação desses seres iluminados que aqui encarnaram.
Agradeço a Kalu, que sem saber, quando a conheci, que meu primeiro filho tinha 3 meses, me contou lindas histórias de amamentação, que me fizeram ter mais certeza de que isso era muito possível.
Agradeço a Rebeca, por ter esclarecido minhas dúvidas e ter me dado incentivo desde o início da segunda gestação.
Agradeço a lista da Parto Ativo BH, por onde eu lí e aprendi tanto com as experiências de todas.
Enfim, gratidão Artur, por ter chegado e ter me ensinado tanto em tão pouco tempo. Gratidão Pedro, por ter dado à sua mãe a experiência, para aprender o que fazer melhor.
GRATIDÃO DEUS, POR ESSA VIDA ABENÇOADA QUE ME DÁS!